Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Cateto


Análise de Custos

Para fazermos a análise de custos simularmos a rentabilidade econômica, e despesas com a criação de catetos em manejo intensivo numa área de reflorestamento de eucaliptos os comparamos.

Iniciamos com as necessidades de instalações e demais custos de produção para manter 20 matrizes e uma despesa entre captura (autorizada pelo IBAMA) e transporte da ordem de R$ 40,00 por cabeça de cateto.

Para a criação de catetos na área de eucaliptos o produtor cercou três piquetes de 375 m2 cada, com o objetivo de criar três famílias compostas por:

Família A: 2 machos e 8 fêmeas
Família B: 2 machos e 5 fêmeas
Família C: 2 machos e 7 fêmeas
Foram considerados os  índices produtivos para catetos obtidos pela CIZBAS do Departamento de Produção Animal da ESALQ/USP:

Desmame de 1,65 filhotes por ninhada, 3% de mortalidade do desmame ao abate, também foi considerado que 70% das matrizes pariram duas vezes ao ano e o a bate dos catetos com 20 Kg de peso vivo aos dez meses de vida.
Para a alimentação, foi considerado o preparo das rações na propriedade aproveitando o milho silagem neste produzido e da compra de concentrado de uma cooperativa. Na alimentação de catetos, foi possível a utilização de 35% de seu consumo voluntário diário com alimento volumoso (silagem de milho). Para a mão de obra, foi gasto R$ 300,00 por mês por empregado.

Tabela 1: Custos iniciais para implantação do criadouro com 20 matrizes de Catetos.

Itens de Custo Inicial (R$) 

 Cateto

Taxa IBAMA

R$ 250,00

Assessoria para legalizar o projeto junto ao IBAMA

R$ 500,00

 Aquisição do plantel inicial

R$ 1.040,00

 Materiais e mão-de-obra para construção de piquetes

R$ 1.140,00

 Equipamentos (bebedouros, gaiolas, redes, etc.)

R$ 500,00

 Custo Total

R$ 3.430,00

Tabela 2: Análise dos índices do custo de produção por Kg de peso vivo (e a importância de cada item em % do custo total) para 20 matrizes de Catetos.

 Itens de Custos

Cateto 

 %

 Alimentação1

1,23

41,27
 Mão-de-obra

0,46

16,65
 Capital fixo2

0,59

19,98
 Outros gastos3

0,69

22,10
 Custo Total

2,97

100

  1. Custo médio de R$ 0,12/ Kg de ração para cateto e queixada.
  2. Nesse item, foram incluídos gastos com juros sobre capital fixo (12% por ano), depreciação das instalações e equipamentos, aquisição de matrizes e reprodutores e custo de projeto junto ao IBAMA.
  3. Despesa com combustível, taxa IBAMA, eletricidades, veterinário e medicamentos, juros sobre capital operacional (6% ao ano), etc.

Tabela 3: Projeção da produção, custos e renda líquida anual para criações de 20 matrizes Catetos.

 Escrituração Zootécnica

Cateto

 Número médio de filhotes desmamados  56,10
 Peso total de animais comerciais e de reprodução descartados  1.117,12 Kg 
 Mão de obra/Kg produzida (h)  0,38
 Kg de alimento consumido/Kg de animal produzido.  10,23
 Custo de instalações e equipamentos por matriz  R$ 171,50
 Custo total de produção.  R$ 3.322,00 
 Renda líquida anual vendendo para atravessadores (R$ 4,00/Kg de peso vivo)  R$ 1.147,00
 Renda líquida vendendo diretamente a produção (R$ 7,00/Kg de peso vivo)  R$ 4.498,00

A composição da renda pode aumentar  se a produção for comercializada diretamente através de associações ou cooperativas sem o intermédio de atravessadores e, caso sejam comercializados os animais como matrizes e reprodutores (no mínimo o dobro do valor do peso vivo pago como carne) e ainda, um maior acréscimo de renda a partir da comercialização do couro (US$ 45,00/m2 depois de curtido, na Argentina).

Venda de matrizes e reprodutores

A procura por estes animais deve ser crescente até uma estabilização do número de criadores e os que primeiros se estabelecerem com certeza terão ganhado maiores. Hoje, uma matriz de cateto está cotada em São Paulo entre R$300,00.

Um mercado que pode crescer bastante é a criação de animais para solturas em parques de caça nos estados brasileiros onde esta atividade é permitida. Mas no Estado de São Paulo a legislação vigente impede esta atividade em seu território.

Antes do produtor se lançar a atividade, é recomendável que ele procure a assistência técnica em órgãos públicos de extensão rural como EMATER, CATI e Universidades. As Empresas Juniores tem constituído uma ótima opção para elaboração de projetos a custo acessível para o produtor.

Legislação

Todos os processos referentes a animais silvestres passam pelo controle do IBAMA (captura, transporte, comercialização,...).

Para o registro de uma criação comercial de animais silvestres, está vigente a exigência  e especificação estabelecida pela Portaria n. 118-N do IBAMA, que estabelece a necessidade de um responsável técnico, devidamente habilitado, com termo ou contrato de trabalho de acompanhamento e responsabilidade pelas informações e a orientação técnica do empreendimento

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados