Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Cateto


Sistema de Criação

Sistema Intensivo

A criação de cateto neste tipo de sistema não é interessante, uma vez que requer instalações caras e os animais dificilmente se adaptarão, e animais silvestres precisam  espaço.

A manutenção destes animais nestes tipos de instalação poderia gerar problemas como infanticídio, brigas, etc, principalmente. Os catetos podem ser criados num manejo intensivo, mas necessitam de adaptação para a espécie em um sistema de criação que possua  piquetes.

Sistema Semi – intensivo

Instalações

A maior parte das criações segue o sistema onde são cercadas áreas de reflorestamento ou de mata de 1000 a 10000 m2, sendo assim, como todas as propriedades agrícolas por lei são obrigadas a possuir 20 % de sua área total em área de preservação permanente (APP), essas áreas denominadas de “marginais” podem ser utilizadas para a criação, necessitariam apenas de um pequeno investimento para serem cercadas e possibilitarem a criação.

O cercamento é feito com tela de alambrado (malha 2,5 a 3,0 polegadas e de 1,20 a 1,50m de altura) sustentada por mourões. Na base da tela deve ser construído um baldrame de 30 a 40cm de profundidade (podendo ser de cascalho, brita nº 5 ou concreto) para evitar fugas e entradas de animais estranhos à criação.

Nessas áreas são mantidos os animais reprodutores, ocorre aí também o nascimento, crescimento e engorda dos filhotes. Os animais podem consumir a água de um açude ou córrego que passe pelo criatório, desde que haja uma cerca para evitar que os Catetos fujam, uma vez que estes são ótimos nadadores. Ou então, a água também pode ser fornecida em bebedouros automáticos (um para cada vinte animais), do tipo concha ou de alvenaria. Ao redor do bebedouro, uma área de pelo menos 2,0 m de raio deve ser cimentada para evitar que o chão fique esburacado em função do pisoteio e do hábito de fuçar.

Também é necessária a construção de locais de manejo denominados de “cevas”, que devem ter de 40 a 100 m2. Neste local será fornecido o sal mineral, a ração ou milho em grão, o restante deverá ficar acondicionado em um comedouro coberto, o que permite que os animais se acostumem a freqüentar o local permitindo assim, facilidade na captura.

  

Sistema Extensivo

 

No Brasil, este tipo de criação não é permitido pelo IBAMA, isso porque restam animais selvagens que podem ser abatidos e este fato contraria a Lei de Proteção à Fauna, que somente pode regulamenta a comercializados de produtos de animais silvestres criados em cativeiro.

 

Equipamentos

 A exigência de equipamentos para a criação varia de acordo com o número de animais criados, mas praticamente são idênticos independentes da opção de sistema.

Como há a possibilidade de existirem indivíduos com potencial agressivo, deve – se ter sempre em mente que é necessário o uso de equipamentos de proteção toda vez que for necessário entrar no recinto  em que os animais se encontram.

Os equipamentos são: o puçá (que é uma estrutura circular de metal com um cabo de ferro e um saco costurado ao aro e que serve para a contenção de filhotes e adultos) e a prancha.

Também são necessárias gaiolas para o transporte, estas podem ser feitas de madeira ou de vergalhão e tela de alambrado, são estruturas simples com portas do tipo guilhotina e com o cuidado de ter alças retráteis para poder carregar os animais sem correr riscos de ser mordido. Deve ter 0,60m de largura, 0,60m de altura e 1,20m de comprimento.

Em criações maiores, torna – se interessante ter balanças, para pesagem dos animais.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados