Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Pecuária Orgânica


Importância do Manejo do Solo

Quando falamos de animais, normalmente esquecemos do 
solo. Todavia, na produção orgânica - que privilegia a 
criação extensiva – um dos princípios básicos é 
reconhecer o solo como fonte de vida. A qualidade e o 
equilíbrio da fertilidade do solo (manutenção de níveis 
de matéria orgânica, promoção da atividade biológica, 
reciclagem de nutrientes e intervenção controlada sem 
destruição do recurso natural) são essenciais para a 
sustentabilidade da propriedade. Assim, na produção 
orgânica, a saúde animal também está ligada à saúde do 
solo. 

Outro ponto básico é a diversificação da propriedade, 
que pode ser alcançada com um manejo que utilize o 
policultivo, pastagens, sistemas agroflorestais, 
rotações de culturas, cultivos de cobertura, cultivo 
mínimo, uso de composto e esterco, adubação verde, 
quebra-ventos e áreas de reserva de mato. Este tipo de 
manejo potencializa a reciclagem de nutrientes, melhora 
o microclima local, diminui patógenos e insetos-praga, 
elimina determinados contaminantes e conserva e melhora 
a fertilidade do solo e a qualidade da água. É evidente, 
que as particularidades de cada sistema vão influenciar 
nestes resultados. No entanto, a diversificação por si 
só não é suficiente para a otimização do sistema. Faz-se 
necessário analisar a compatibilidade e 
complementaridade das explorações, visando a uma maior 
integração. Ou seja, a diversificação deve ser planejada 
de forma a integrar um conjunto produtivo (agricultura, 
floresta e animais), no qual cada atividade esteja 
relacionada na troca de materiais e benefícios com as 
outras. Esse procedimento visa impedir que a 
diversificação gere um sistema de produção 
descoordenado. Por isso, o planejamento é um requisito 
fundamental para um bom aproveitamento do potencial da 
propriedade, fator que permitirá uma maior independência 
do produtor. O objetivo de apresentar alguns 
procedimentos básicos para o manejo animal é a obtenção 
de uma produção orgânica satisfatória mantendo os 
animais em bom estado de saúde, sobretudo por meio de 
ações preventivas. 
De acordo com os princípios da agricultura orgânica a 
atividade animal deve estar, tanto quanto possível, 
integrada à produção vegetal, visando à otimização da 
reciclagem dos nutrientes (dejetos animais, biomassa 
vegetal), uma menor dependência de insumos externos 
(rações, volumosos) e a potencialização de todos os 
benefícios diretos e indiretos advindos dessa 
integração. Portanto, é importante que a criação seja 
planejada de forma a se integrar nas demais atividades 
da propriedade. Na prática, a produção animal ainda está 
pouco integrada à produção vegetal. 

No que diz respeito à alimentação dos animais, as normas 
recomendam a produção própria dos alimentos orgânicos 
(volumosos e concentrados) por meio da formação e manejo 
das pastagens, capineiras, silagem e feno. Neste 
aspecto, é importante que a maior parte da alimentação 
seja orgânica e venha de dentro da propriedade. Além dos 
bovinos, a alimentação de outros animais, deve ser 
complementada com material verde fresco (hortaliças, 
rami, guandu, gramíneas e outros). Inicialmente, os 
animais deverão ser alimentados com no mínimo 50% de 
produtos orgânicos. Com o passar do tempo serão 
toleradas percentagens de no máximo 20% de alimentação 
de origem não orgânica. 

Em relação ao tratamento veterinário, o objetivo 
principal das práticas de criação orgânicas é a 
prevenção de doenças. Saúde não é apenas ausência de 
doença, mas habilidade de resistir a infecções, ataques 
de parasitas e perturbações metabólicas. Desta forma, o 
tratamento veterinário é considerado um complemento e 
nunca um substituto às práticas de manejo. O princípio 
da prevenção sempre vem em primeiro lugar e, quando é 
preciso intervir, o importante é procurar as causas e 
não somente combater os efeitos. Por isso, é importante 
a busca de métodos naturais para tratamento veterinário. 
O tratamento homeopático já vem sendo utilizado com bons 
resultados e diminuição de custos. 

Em relação ao manejo do rebanho, as instalações
(estábulos) devem ser adequadas ao conforto e saúde dos 
animais, o acesso a água, alimentos e pastagens também 
deve ser facilitado. Além disso, as instalações devem 
possuir um espaço adequado à movimentação e o número de 
animais por área não deve afetar os padrões de 
comportamento. De forma geral, sugere-se que o regime de 
criação seja de preferência extensivo ou semi-extensivo, 
com abrigos. As mutilações de animais e utilização de 
substâncias destinadas à estimular o crescimento ou 
modificar o ciclo reprodutivo dos animais são contrários 
ao espírito da produção orgânica e, portanto, são 
proibidos. O transporte dos animais deve ser efetuado de 
forma a respeitar os animais, evitando qualquer tipo de 
brutalidade inútil. Além disso, o abatedouro deve ser o 
mais próximo possível das propriedades. 

Em síntese, a qualidade de vida do animal tem profunda 
relação com a possibilidade do animal adoecer. Assim, um 
animal que é confinado com grande concentração de 
indivíduos, espaço limitado para locomoção, sem 
possibilidade de expressar seus modos naturais de 
comportamento, fica profundamente perturbado, sujeito a 
manifestações de estresse e sistema imunológico. Como 
qualquer indivíduo nessas condições, os animais ficam 
mais propensos a doenças. Além de ajudar no equilíbrio 
técnico e ecológico da propriedade, a produção animal 
contribuí eficazmente na geração de renda.

Para o produtor que está iniciando na pecuária orgânica 
o principal entrave está relacionado à dificuldade de 
cumprir todas as normas exigidas pela certificadora. 
Além disso, existe o problema da comercialização de 
produtos animais orgânicos pela falta de uma legislação 
adequada aos alimentos orgânicos de origem animal. Para 
ilustrar a necessidade urgente de uma legislação. 
Para finalizar, cabe destacar que ainda existe um grande 
trabalho de pesquisa e desenvolvimento a ser realizado 
para que os consumidores possam desfrutar de derivados 
de produtos animais orgânicos em quantidade, qualidade, 
diversidade e regularidade. De qualquer forma, existem 
muitas oportunidades e quem sair na frente terá um bom 
mercado para explorar. 

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados