Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Bovino de leite


Criação de bezerros

Princípios básicos sobre o manejo de recém-nascidos

Um manejo cuidadoso com as matrizes, alimentação adequada e boas intalações e higiene são pontos basicos que asseguram a saúde dos bezerros.

Vaca

Para vaca seca, uma ração apropriada é essencial para manter a vaca saudável e diminuir a incidência das doenças do período pós-parto. Fêmeas magras tem crias com baixo "peso ao nascer" e por outro lado as excessivamente gordas poderão ter partos distócicos.

Com um mínimo de uma semana de antecedência da data de parição prevista, remova a vaca para uma área já reservada para tal. Escolha uma baia bem ventilada ou um piquete maternidade limpo e seco. Evite usar serragem como cama pois esta pode obstruir a boca e as narinas do recém-nascido.

Ao nascer deve-se limpar a boca e as narinas do bezerro. A água fria estimula os reflexos de visão e esfregá-lo com um pano seco e limpo estimula a respiração. Após secar o recém-nascido mergulhe seu umbigo por completo no iodo para prevenir infecções.

Alimentação do bezerro

Ao nascer o bezerro não possui imunidade a doenças. Este é o motivo pelo qual ele precisa tanto do colostro, que contem proteínas denominadas imunoglobulinas (anticorpos), absorvidas diretamente através do intestino. Os anticorpos absorvidos darão proteção ao recém-nascido contra infecções. A qualidade de colostro varia de uma fêmea para outra. Vacas com vacinação completa e vacas adultas, em geral, produzem colostro de melhor qualidade do que as novilhas, devido ao maior período de exposição a diversos agentes patogênicos de organismos causadores de doenças.

O ideal é que 2 litros de colostro, seja fornecido nos primeiros quinze minutos pósparto, ou no máximo uma a duas horas após o nascimento. A qualidade do colostro diminui acentuadamente após a primeira ordenha.

Alimente o recém-nascido utilizando uma mamadeira limpa para induzir a sucção e o fechamento da "goteira esofagiana" fazendo assim com que o leite vá direto para o abomaso ao invés do rúmen. Caso o bezerro não sugue, utilize um aumentador esofagiano para forçar a ingestão do colostro.

Oito a doze horas mais tarde, forneça mais 2 litros do colostro, o segundo fornecimento auxiliará a empurrar a primeira mamada do colostro do estornago para o intestino delgado, permitindo dessa maneira além de um aumento na absorção de anticorpos a lavagem do intestino evitando a aderência da bactéria Escherichia coli. Nas primeiras 20 horas de vida do bezerro ele deve receber de 12 a 15% do seu peso vivo em colostro.

Animais recém-nascidos devem receber 2 litros de colostro 2 vezes ao dia,durante três dias, e leite durante a primeira semana de vida. Após ter recebido colostro adota-se o fornecimento de um dos seguintes alimentos líquidos: leite por completo ou substitutivos do leite.

A maioria das recomendações é de 8% do peso corporal do bezerro/dia, fornecido parceladamente. O que irá apenas manter o bezerro, 10 - 12% é o suficiente para manutenção e crescimento.

Os substitutos do leite também estão sendo utilizados em larga escala. Devem ser constituídos a base de leite ou de subprodutos do leite, conter 22% de proteína, 10-12% de gordura e menos de 0,25% de proteína crua.

A recomendação técnica canadense é de 0,25 Kgs de substitutivo do leite para 1 Kg de água, fornecida 2 vezes ao dia até o desmame. A ração inicial de bezerros deve conter 18 a 20% de Pb e 70 a 71% NDT, um agente anticoacido, ser palatável e livre de impurezas. Ofereça ao bezerro entre 4 e 6 dias de idade iniciando em pequenas quantidades, retirando sempre as sobras ao fazer a reposição para que a ração não estrague.

O bezerro poderá ser desmamado quando estiver ingerindo de 500 a 700g de ração por dia, regularmente por uma semana. Água limpa e fresca deve estar à disposição.

Uma vez que o feno é digerido no rúmen, este precisa estar funcionando antes de fornecer a forragem efetivamente. Inicie com feno quando o bezerro estiver com pelo menos três semanas de idade e ingerindo algum tipo de grão. Deve-se estimular o consumo para acelerar o desenvolvimento do rúmen.

Os utensílios devem ser lavados e desinfetados para impedir proliferação de germes.

Instalações

Basicamente deve ser limpa, seca e bem arejada, mas sem correnteza. Os bezerros devem ser alojados em abrigos individuais, separados das vacas, pois os animais adultos são fontes de vários agentes infecciosos.

As baias devem ser limpas, desinfetadas e forradas com uma cama de palhada. Recomenda-se que permaneça vazia por uma semana entre um bezerro e outro.

As gaiolas individuais são estruturas únicas, de plástico ou madeira, abertas na frente. Assim como qualquer outra instalação deve ter boa drenagem, uma cama seca e face voltada para o sul. No período entre um bezerro e o próximo a ocupar a mesma gaiola, estas devem ser limpas, desinfetadas e removidas para outro espaço.

A cada 6 meses todas a gaiolas devem ser removidas para uma área completamente nova, e o espaço que estava sendo ocupado pelas mesmas deve ser limpo (carpido) de modo que o solo fique exposto ao poder desinfetante do sol.

- Programa de Alimentação: de 1 a 5 semanas

Fornecer 1% PV na forma de forragem fibra longa;
Silagem: diminuir pela metade - MS 13 Kg/dia;
Feno: diminuir pela metade - PB 13%;
Ração[ ]: 1 Kg ( níveis maiores dependendo da condição corporal das necessidades de crescimento, da qualidade e do consumo da forragem e do "stress ambiental");

- Fornecimento

Dieta de transição: 6 a 8 semanas (1/3 final);
Para alta produção: 3 a 5 Kgs de ração completa de vacas alta produção mais dieta tradicional de vacas secas (feno + 1 Kg de concentrado de vacas secas) + 1 Kg concentrado de transição.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados