Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Bovino de leite


Parasitas

Carrapatos

Há várias espécies de carrapatos, que se localizam por toda a parte externa do corpo do animal, amplamente distribuídos. Algumas espécies podem produzir dores fortíssimas e serem vetores de várias doenças, como a tristeza parasitária dos bovinos, anaplasmose, febre maculosa das montanhas rochosas, febre Q, tularemia, babesiose,  prejudicando o animal, deixando-o debilitado e, caso alguma doença seja adquirida pelo rebanho, há défict na produção e até morte.

Causam irritação, anemia, perda de peso, desenvolvimento precário, ulceração, obstrução da orelha (surdez), distúrbios digestivos e nervosos. Carrapatos adultos são facilmente reconhecidos na pele do animal, porém os filhotes e os parasitas pequenos ficam escondidos no subpêlo. A única forma de mata-los e prevenir-se contra eles é o banho carrapaticida e uso de outras substâncias químicas. As pulverizações devem ser feitas com cuidado e de forma adequada (ver Princípios de enfermagem) .

Ácaros

Localizam-se na pele do hospedeiro, algumas espécies preferindo áreas de pelagem escassa e outras preferindo regiões de pelagem densa. Causam sarnas, danos na pele com défict na produção de couro,podendo levar à morte. Alimentam-se de restos de pele e linfa, entram nos folículos pilosos e glândulas sebáceas, causando inflamação crônica, espessamento da pele e perda de pêlo. Nas feridas penetram bactérias, o que piora o estado dos abcessos e nódulos. A perfuração da pele causa escorrimento de fluido, formando crostas. Também surgem dermatite, prurido e arranhões. O controle deste parasita é feito com banhos acaricidas, pulverizações, banhos e imersões. 

Piolhos 

Encontrados com mais freqüência nas partes protegidas da pele, como parte lateral do pescoço, dorso, peito, entre os membros,base da cauda e cabeça. Algumas espécies atacam locais com temperatura mais fria, disseminando-se com mais facilidade no inverno. Já outras disseminam-se em todas as regiões do mundo.Quando presentes em  grande número, podem danificar o desenvolvimento dos animais, acarretando perdas. A irritação causada nos animais prejudica a alimentação e o sono. O coçar produz feridas e torna a pele áspera. Se a infestação for grande, pode ocorrer anemia, deixando os animais susceptíveis a doenças. O diagnóstico é feito apenas pela observação. O controle é feito por pulverizações, pós, banhos e inseticidas.

Moscas

Vivem em feridas sobre a pele, podendo depositar ovos sobre os pêlos, vivendo as larvas no tecido subcutâneo. Causam sérios abcessos, que devem ser tratados.As larvas digerem os tecidos, expandindo a lesão e deixando o animal susceptível a infecções diversas. A morte ocorre com freqüência, ocorrendo perda da qualidade do couro para exploração comercial, aumentando os prejuízos. As feridas têm odor pútrido, liberando líquido de cheiro desagradável. O diagnóstico é feito pela presença de larvas nas feridas, por nódulos dolorosos, presença de ovos sobre o pêlo, remoção das larvas e exame. Como tratamento deve ser feita curetagem do tecido necrosado e higienização do local. As afecções causadas por moscas são conhecidas por bicheira ou berne e podem ser evitadas com imersões, banhos, inseticidas e agentes químicos diversos.

Sempre deve-se lembrar que o tratamento de qualquer enfermidade deve ser feito pelo médico veterinário responsável pela propriedade, de preferência alguém que já faça acompanhamento dos animais e esteja ciente da situação da fazenda. Medicações sem aval do veterinário só devem ser ministradas em caso de extrema emergência, enquanto o médico veterinário não chega ao local. Se possível, deve-se evitar medicação sem prescrição.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados