Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Bovino de corte


Indubrasil

Generalidades

Originário da Índia, o indubrasil é a raça mais difundida no exterior, sendo a primeira raça neozebuína do mundo, formada por cruzamentos entre o guzerá e o nelore, desde 1890 até 1920. Com a introdução da raça gir, entre 1911 e 1920, os produtos adquiriram seu aspecto definitivo, exibindo um grande porte, habilidade para longas caminhadas e matrizes eficientes. O sucesso foi tão grande que duas exportações de animais foram realizadas entre 1923 e 1924. Atualmente, seu habitat está restrito ao Nordeste brasileiro e à região de Minas Gerais, sendo registrados 205.297 animais, na história, e 11.661 nos últimos 5 anos.

Características

O indubrasil na idade adulta apresenta as seguintes características:

- as fêmeas pesam entre 500-750 kg, com recorde em 900 kg;
- os machos pesam entre 850-1000 kg, com recordes acima de 1.200kg.

Ainda hoje, uma grande parte animais cruzados enviados para o abate apresentam unia meia-orelha lembrando os antigos tempos de predomínio dessa raça.

Sem tecnologia, o indubrasil, do acaso, constituiu a primeira história, encenada antes de 1950. Agora surge a nova fase, com a verdadeira fisionomia da raça, disposta a ocupar seu espaço no mercado pecuário.

"Além do vasto mercado interno, que admira o grande porte e grande volume, em primeira instância, indubrasilistas estão voltando os olhos para o mundo e constataram que esta é a raça mais vitoriosa fora dos limites do Brasil", afirma a Associação Brasileira de Criadores de Indubrasil.

Padrão da raça

- cabeça: largura, comprimento e espessura médios; o chifres: médios;
- olho: escuros, elípticos, de olhar sonolento, protegido por peles;
- orelha: pendentes, de médias a longas;
- cupim ou giba: bem plantado sobre a cernelha; nas fêmeas é menor e menos caracterizado;
- umbigo: reduzido;
- cauda e vassoura: comprida e fina, na linha ou abaixo dos jarretes. Vassoura ligeiramente mesclada;
- úbere e tetas; de volume médio, com pele sedosa, tetas sedosas e bem distribuídas;
- pelagem: uniforme, branca e cinza, em suas diversas variedades. Admite-se a amarela e vermelha uniforme; o pele: preta ou escura, solta, fina, flexível, macia, oleosa, róseo no úbere e região inguinal.

O indubrasil apresenta a mais comprida orelha entre as raças bovinas do mundo. Em uma ampla pesquisa realizada na dê de 1980, confirmou o aumento do seu tamanho ainda mais, nos últimos tempos.

Cruzamento industrial

O indubrasil, raça com influência de muitos sangues (nelore, guzerá, gir, malvi, hissar, etc) precisava de cuidados na seqüência das gerações, para evitar degenerescências comuns ao gado heterótico. Hoje, os criadores adotamos descartes radicais, eliminando-se os animais de bainha longa, os de aprumos frágeis e os de discutível taxa de fertilidade. Inicialmente, para multiplicar os poucos zebuínos existentes, os criadores cruzavam guzerá x nobre x hissar, e outras raças que chegavam nas importações.

Com o sucesso de tais cruzamentos, os criadores triangulinos resolveram introduzir um novo sangue: o gir. Surge, então, a verdadeira raça indubrasil.

O indubrasil sempre foi muito utilizado nos cruzamentos. Algumas tentativas conseguiram se firmar como a raça "Itapetinga" e a "Santa Mariana". Na imensidão do país, o indubrasil é utilizado para dar porte às crias. Milhões de animais "meia-orelha" são enviados para o abate, anualmente, indicando que o indubrasil continua vivo, mesmo sem propaganda oficial.

Grande parte do gado leiteiro é oriunda do cruzamento de indubrasil com o holandês. Utiliza-se o indubrasil para cobrir vacas girolando, com sucesso. Diante de poucas informações obtidas sobre a raça, conclui-se que a história do indubrasil precisa ser mais bem estudada e melhor contada.

Ganho de peso

O indubrasil inscreveu 33.896 animais no CDP - Controle do Desenvolvimento Ponderal, ou 3,32% do total desta prova até 1995.

Ficou evidente em 134.112 pesagens que o indubrasil alcança os seguintes pesos: macho pesa, aos 205 dias, 168 kg e a fêmea 156 kg. Aos 365 dias, o macho pesa 247 kg e a fêmea pesa 224 kg. Aos 550 dias o macho pesa 319kg e a fêmea pesa 286 kg. A avaliação aconteceu sempre em regime de campo; a diferença para o regime confinado é de 30,72%.

O indubrasil esteve presente em 17 PGP - Provas de Ganho de Peso, entre as primeiras 200 realizadas pela ARCZ, totalizando 217 animais. A média da última fase foi de 1.096,20 gramas-dia.

Melhoramento genético

Quando a raça decaiu nos registros genealógicos, cedendo lugar para o gir, era importante que os criadores analisassem o gado e tomassem rumos competentes, mas o país vivia uma fase complicada para a pecuária.

Mesmo com todas as dificuldades, o indubrasil ainda é a raça mais difundida no exterior. Com rebanhos na maioria dos países latino-americanos e nos Estados Unidos, sob a denominação de "Indubrasil", para lembrar um gado "Indo" e "Brasil" ou seja, originário da Índia e Brasil.

Em alguns países, logrou um notável melhoramento zootécnico, o qual poderá resultar em uma reexportação para o Brasil, nos próximos anos, como maneira de revigoramento da raça.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados