Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Escargot


Manejo reprodutivo

O escargot é um molusco pulmonado e hermafrodita, isto é, o mesmo animal possui os dois sexos sendo, por isso, macho e fêmea ao mesmo tempo, produzindo espermatozóides e óvulos, que são os gametas masculinos e femininos, respectivamente. Como, porém, os escargots não podem se auto-fecundar, havendo necessidade de dois animais para que se copulem e um fecunde o outro, unindo espermatozóide com o óvulo, sem a qual não pode haver reprodução e, em conseqüência, criação. A fecundação não só possibilita a reprodução mas também permite a transmissão dos caracteres dos pais para os filhos, ou seja, a hereditariedade.

Por isso é importante fazer uma boa seleção ou escolha dos escargots destinados à reprodução, pois deles vai depender a qualidade ou valor dos produtos a serem obtidos. Portanto, para obter os melhores resultados, o criador deve, não só iniciar a sua criação com bons reprodutores mas também fazer urna boa seleção animais para que seja mantidos, sempre, uma elevada produtividade com elevado padrão, o que redundará no sucesso da criação.

Na seleção dos reprodutores é importante observar alguns pontos:

- idade adequada para entrarem em reprodução;
- que cada espécie escolhida esteja dentro do padrão indicado;
- que não apresentem deformação ou fraturas na concha, ferimentos ou calombos no corpo, aparente indisposição ou doenças;
- que não possuam nenhum corrimento ou excreção anormal como espumas saindo pela concha etc. É preciso, no entanto, não confundir a mucosidade, "gosma" ou "baba" normal e necessária para esses moluscos, com excreções anormais;
- Devemos levar em consideração que os escargots podem viver 4 a 5 anos. Devem, no entanto, ser mantidos na reprodução, até 2 ou 3 anos de idade, no máximo.
- devem ser provenientes de posturas grandes, de numerosos ovos;
- que sejam adquiridos de criadores idôneos, que façam seleção de seus animais e lhes proporcionem boas condições de criação;

Época do acasalamento

Os escargots podem se reproduzir durante todo o seu período de atividade, isto é, quando estão vivendo normalmente, fora da concha. Depois da hibernação, no entanto, eles aguardam um certo tempo para recuperar suas forças, alimentando-se bastante e só depois disso, é que começam os acasalamentos. Também durante as épocas ou dias muito quentes eles interrompem as suas atividades sexuais ou reprodutivas. De um modo geral, eles se reproduzem nas épocas amenas, nem muito frias e nem muito quentes, quando as temperaturas se situam entre os limites normais para a sua reprodução, ou seja das 16 a 24hs.

Maturidade sexual

Vários são os fatores que podem influir na idade em que os escargots atingem a puberdade, ficando aptos para a reprodução. Na Europa, o Helix pomatia (bourgogne) já está apto para a reprodução aos três anos de idade, mas só começa a postura depois do segundo ou do terceiro invernos após o seu nascimento, de acordo com a época em que nasceu, ou seja, respectivamente, primavera ou verão. Já o Helix aspersa, na mesma região, é mais precoce, iniciando a postura quando atinge mais ou menos um ano de idade. Mesmo na Europa, segundo certos criadores, nas regiões mais quentes como as mediterrâneas, os escargots podem começar a postura antes de atingirem 1 ano de idade. No Brasil, o mais criado é o Helix aspersa, que fica adulto aos 4 meses de idade, quando criado na região Centro-Sul (São Paulo).

Acasalamento

É precedido por uma verdadeira cerimônia nupcial que pode durar várias horas. Quando dois escargots se encontram e sentem o desejo de se acasalar, um vai se aproximando lentamente do outro até que entram em um primeiro contato, um se encostando ao outro, se esfregando. Fazem carinhos com a rádula, levantam a parte anterior do corpo, ficando ambos, cara a cara, na vertical, quando se trata do Helix pomatia (bourgogne), se mordem e se separam. Aparece então o seu dardo, lançado para fora de sua bolsa, com o auxilio de uma substância mucosa secretada pelas glândulas multífidas. Os escargots ficam, então, um espetando o outro, com esse dardo, na região do seu orifício genital, com o objetivo de excitá-lo sexualmente. Ocorre, muitas vezes, que o dardo se quebra, ficando uma parte espetada no corpo do seu parceiro de cópula. Às vezes, são encontrados vários dardos em um escargot, o que significa que ele realizou vários acasalamentos. Um dardo, quando se parte, leva mais ou menos três dias para se regenerar, ficando o escargot novamente pronto para outros acasalamentos.

Ocorre, então, uma inflamação no orifício genital, ficando essa região com uma coloração esbranquiçada ou leitosa. Ficam, assim, a vagina e o pênis, prontos para a cópula. Quando isso ocorre, os dois escargots se juntam novamente, fazendo com que a parte direita dos seus corpos se junte, ficando os seus órgãos genitais encostados uns nos outros quando, então, cada um lança o seu pênis que vai penetrar na vagina do seu parceiro. Há, portanto, uma copulação recíproca. Dessa maneira, cada um lança, no canal do receptáculo seminal do seu parceiro, um espermatóforo que é uma espécie de cápsula comprida, forte e quitinosa, cheia de espermatozóides.

O espermatóforo é introduzido no outro animal, pela ação dos músculos do pênis. Portanto, terminado o acasalamento, os dois animais se separam, levando cada um deles, em seu organismo, um espermatóforo cheio de espermatozóides. Esses espermatozóides são libertados do espermatóforo, logo depois da cópula e seguem os seus caminhos na via genital feminina do escargot, para fecundarem os óvulos, que eles mesmos vão produzir em sua glândula ou gônada hermafrodita, formando assim, os ovos.

No caso do Helix aspersa, no momento da cópula, os animais ficam em sentidos opostos e na horizontal, mas com seus órgãos genitais em contato direto.

Postura

Apos a fecundação, a postura dos ovos se realiza 10 a 30 dias depois acasalamento. Quando vai chegando a hora da postura, o escargot procura um lugar fresco, úmido mas não encharcado e com terra que não seja, de preferência, nem muito mole, nem muito dura, para facilitar a construção do seu ninho. Depois, com a parte anterior do pé, começa a escavar um buraco no chão, medindo 6 a 8cm de profundidade, com uma câmara de 4cm de diâmetro e com uma salda mais estreita, isto quando se trata do Helix pomatia (bourgogne).

Já, o Helix aspersa ou petit gris, faz o seu ninho com 3 a 4cm. Esse ninho é feito, em geral, em locais sombrios e úmidos mas com um certo grau de calor, debaixo de folhas e ramos, entre raízes, embaixo de árvores etc. e onde, logo que saem dos ovos após a eclosão, os escargots recém-nascidos possam, sem dificuldade, encontrar os alimentos de que necessitam. Terminada a construção do ninho, o Helix pomatia introduz a maior parte possível da região anterior do seu pé, e o mais profundo possível, dentro do ninho. Sua postura começa logo depois e os ovos são postos a intervalos de 5 a 10 minutos um do outro.

O Helix pomatia põe de 30 a 60 ovos arredondados, medindo 6mm de diâmetro. A postura pode durar de 20 a 40 horas, dependendo do número de ovos produzidos. Terminada a postura, o escargot se recolhe à sua concha, para descansar durante mais ou menos meia hora. Depois disso, tampa o buraco do ninho com detritos e terra para protegê-lo e fica perto por algumas horas, abandonando o ninho e os seus ovos à própria sorte.

O Helix aspersa, como o mencionamos, faz um buraco menor de 3 a 4cm de profundidade e, às vezes, nem isso, fazendo sua postura debaixo de folhas de ramos ou de pedras. Sua produção é de 80 a 120 ovos de 4mm de diâmetro, podendo chegar a 200 em uma única postura. Os mais prolificos são os escargots chineses, entre os quais o Achatina fulica, o turco Helix lucorum, que chegam a botar 500 ovos.

Incubação

Pode ser natural ou artificial, sendo que no primeiro modo o período de incubação dos ovos de escargots varia, não só de acordo com a espécie que produziu o ovo mas também devido a vários fatores, entre os quais temos os seguintes:

- temperatura: quando a temperatura é amena ou suave, o tempo de incubação é menor;
- umidade: sendo a umidade relativa do ar menor, maior é o período de incubação dos ovos dos escargots. Os períodos de incubação, no entanto, normalmente são os seguintes: Helix pomatia - 20 a 30 dias; Helix aspersa - 10 a 30 dias.

Já no segundo modo, várias são as formas de intervenção do criador:

- Coleta dos ovos: faz-se a marcação dos ninhos com pequenas estacas. Terminada a postura procede-se à coleta dos ovos usando uma colher, uma ninhada de cada vez, para maior controle. Coloca-os em caixas chamada chocadeira ou incubadora, com o fundo coberto com uma camada de terra limpa (esterilizada); com uma tampa de tela fina, plástico, vidro ou acrílico.

Os recém-nascidos vão para a tampa podendo ser capturados facilmente. Mas o ideal é que nestas caixas sejam colocados painéis por onde os pequenos animais se alojarão, bastando retira os painéis sem manuseio direto dos animais, usando um pincel ou escova macia para varre-los para as criadeiras.

- Bandejas de postura são colocadas nos parques de reprodutores, onde farão a postura, depois é só retira-las e levar para as chocadeiras, da mesma forma já mencionada anteriormente.
- Criadeiras: são caixas maiores, instaladas dentro de um galpão, onde se alojam os recém-nascidos até a idade de venda ou reprodução, ou quando a criação for no sistema de parques ao ar livre o ideal é leva-los quando atingirem 3 gramas. Pode ser feita de madeira, plástico ou metal, dedes que sejam resistente a umidade, medindo, mais ou menos 1/1,20m de largura por 2/3m de comprimento, com 40 a 60 cm de altura, contendo todos os acessórios, como manjedouras, comedouros, bebedouros e abrigos e se necessário dispositivo anti-fuga.

Eclosão

Após o período de incubação, chega o momento do nascimento dos pequenos escargots, através do rompimento da casca do ovo. A eclosão atinge uma média de 70% dos ovos. Eles já nascem com uma pequena concha membranosa e fina medindo 3 a 4mm de diâmetro.

Essa concha é branca, passando depois, a cor amarronzada. Após o nascimento, os filhotes permanecem no ninho, durante 5 a 10 dias. Durante esse período eles ingerem a casca do ovo, como uma forma de se abastecerem de cálcio e fósforo de que tanto necessitam, principalmente para a formação da concha Parece que também se alimenta de detritos orgânicos em decomposição.

Somente depois desse período é que esses pequeninos escargots saem do ninho. Para isso procuram, de preferência, fazê-lo durante a noite ou então em dias chuvosos evitando, assim, os raios do sol, o calor ou mesmo dias muito secos, para que não sofram problemas de desidratação.

Logo que saem do ninho procuram avidamente os seus alimentos naturais e passam a se alimentar exatamente como os adultos. Fecundidade Nos escargots, é medida pela regularidade na sua capacidade de fecundação, numero de acasalamentos positivos e tipo ou idade em que eles são ingressos na reprodução. de grande importância na seleção dos escargots para a reprodução, pois, unida à prolíficidade é um fator primordial na criação desses moluscos.

Entre os fatores que sobre ela podem influir temos, entre outros, clima, alimentação, idade puberdade, constituição, funcionamento dos seus diversos órgãos, fatores genéticos, hormonais e vitamínicos, umidade, frio entre outros. De um modo geral é na primavera que a fecundidade está mais exaltada. A alimentação tem uma grande importância na fecundidade dos escargots, tanto por fatores relacionados com a sua quantidade, quanto aos inerentes à sua composição ou qualidade, concorrendo para manter em um nível satisfatório, a sua fecundidade.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados