Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Pato Crioulo


Generalidades

Temos as variedades branca, preta, azulado ou cinza, e ainda uma de cor vermelha, muito rara. Com os marrecos, dão um produto híbrido estéril, o paturi ou paturoba, multo apreciado por sua boa carne. Levados para a Europa receberam, lá, os nomes de muscovy, muskê, pato turco e pato-da-Barbária.

Características

Não dão gritos e nem grasnam, apenas resfolegando ou assoprando pelas narinas e emitindo sons inarticulados tão baixos, que eles receberam o nome de "patos mudos". Fossam a lama e poças d'água, comendo tudo o que encontram. São verdadeiros herbívoros. Irrequietos, provocadores e briguentos, atacam aves maiores, pequenos animais e até cães.

Quando estão com raiva, eriçam as penas da cabeça formando um topete, assopram furiosos e, de cabeça baixa, avançam contra o inimigo com golpes de asas, bico e unhas. No estado selvagem, a cor predominante é a preta (verde-negro-besouro) com as penas de vôo brancas.

O bico muito forte termina em uma unha multo resistente e é coberto por carúnculas vermelhas na raiz e que se estendem pela cara e ao redor dos olhos. Tem pernas fortes e dedos armados de fortes e afiadas unhas. Voam, nadam e mergulham muito bem. Os selvagens vivem de plantas e outros vegetais, sementes, insetos, larvas, crustáceos, peixes etc. Ao anoitecer levantam vôo, indo empoleirar-se em altas árvores.

São criados para a produção de carne, uma das melhores entre as de aves. A melhor época para o abate é quando os patinhos estão "cruzando", Isto é, as penas maiores de suas asas se encontram sobre as suas costas. Embora maiores, os ovos de pata são menos procurados do que os de galinha.

Aptidões e outras qualidades

A aptidão do pato crioulo pode ser considerada mista, pois as patas botam quase tanto quanto a marreca de Pequim, porém é, sobretudo usado na produção de carne, utilizando-se animais jovens com menos de um ano.

O cheiro particular ou almíscar que pode ser notado após o sacrifício da ave, desaparece por cocção. Há a crença de que, cortando-se a cabeça e a base óssea da cauda por ocasião da matança, não se percebe o almíscar.

Apresenta sobre os marrecos a vantagem das próprias patas encubarem os ovos - 13 a 15 - o que dura cinco semanas. Os patinhos nascem muito viçosos e espertos, criam-se com facilidade, crescem rapidamente e aos 3 meses estão completamente cobertos de penas, atingindo os machos 3,5 Kg e as fêmeas 2. Nessa ocasião distinguem-se os machos por pequenas verrugas na base do bico. Com 15 semanas, atingem o peso da fêmea adulta.

A postura é intensa na primavera e no verão. Os ovos são grandes branco-esverdeados ou cor de pérola e gozam de reputação de serem muito nutritivos.

É menos exigente que o marreco em relação à água, contentando-se com a de beber. Havendo tanque, não permanecem muito tempo na água. Ao contrário do marreco, que tem as asas atrofiadas, o pato voa, porém, não faltando comida e água, não se afasta do local da criação, sendo provavelmente das aves domésticas a mais sossegadas e menos andeja.

Outra qualidade, que em certos casos pode constituir vantagem, é que não faz barulho característico de outras espécies de palmípedes. Na estação de reprodução é muito ardoroso, chegando a perseguir as aves de outras espécies na falta de uma companheira.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados