Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Jacaré


Manejo Reprodutivo

Para a reprodução é fundamental que os animais adultos reprodutores sejam sadios e de tamanhos similares, evitando brigas.

Após a captura (farming) faz-se primeiramente a sexagem dos animais da seguinte forma:

Imobiliza-se o jacaré, em seguida se introduz o dedo na cloaca do animal realizando uma massagem, aparecendo o pênis é macho, do contrario sairá um líquido , o indicativo de que é uma fêmea.

A proporção de 4 fêmeas para cada macho é satisfatória,  o macho então delimitara o seu território por meio do cheiro de sua urina, em sua área só entrará fêmeas, a presença de um macho certamente ocasionará um confronto.

Felizmente o jacaré é um animal que se adapta bem ao cativeiro, tendo um bom índice reprodutivo. Seu período de acasalamento é por volta do fim de novembro até  fim de dezembro, inicio de janeiro.

Para que o manejo reprodutivo seja otimizado, é interessante deixar o cativeiro com as características mais próximas possíveis das do seu habitat natural, manutenção de lagoas e matéria orgânica na região seca ajudam muito.

Acasalamento e Postura

 

Durante a cópula, o macho rodeia a fêmea em círculos cada vez mais estreitos, ambos emitem sons  e mantém seus “narizes” pra fora da água, na seqüência o macho se encurva, passa por baixo da cauda da fêmea para então  unir as cloacas.Este processo é rápido, durando  cerca de 1 minuto apenas.

As fêmeas constroem cada uma o seu ninho, este constituído de  um monte de restos de vegetais, folha e gravetos.Seu tamanho varia de 1 a 2 m de diâmetro e altura de  40 a 60 cm. A postura se inicia no começo de janeiro se estendendo até março.Cerca de 30 ovos são postos anualmente por cada fêmea.

As fêmeas têm o habito de circular em torno do ninho para proteger e ajudar durante  a eclosão.

Um passo indispensável para o sucesso de uma criação de jacarés é o manejo com os ovos. Eles não podem eclodir a campo, com a presença de predadores como aves, cobras e lagartos, a percentagem de eclosão cai para cerca de 10% dos ovos.

Todo cuidado deve ser tomado ao se retirar os ovos dos ninhos, eles não podem ser virados, para se evitar isso é marcado um X com caneta no ovo, que devera ser mantido o mais próximo possível da sua posição inicial. Durante o transporte aconselha-se depositar um pouco da matéria do ninho para a caixa de transporte, deixando a região mais macia. São então destinados à incubadora artificial.

Depois de coletar, identifica-se o ninho  por meio de uma placa contendo informações do tipo: nº do ninho; nº de ovos coletados e ano da coleta.

Incubação artificial

A incubadora pode ser  confeccionada  por meio de uma caixa de compensado naval, o material deve ser impermeável e forrado com placas de isopor

A temperatura deve gira entre 29 e 31 ºC, fora disso índice de eclosão cai muito (50%).Aplica-se a matéria orgânica retirada do ninho junto com os ovos, vermiculita também pode ser utilizada para evitar a perda de calor.

Baixa umidade pode causar muitas mortes, o ideal é estar próxima de 100%, deixando um recipiente com água  dentro da incubadora é um truque fácil para atingir a umidade ideal, pulverizar água sobre os ovos duas vezes ao dia também ajuda bastante.

Se estes itens estiverem adequados, em 65 dias a partir da postura estará ocorrendo a eclosão, cujo índice é de cerca de 90%.

Após a eclosão os filhotes são destinados às baias no barracão de engorda, 30 dias depois eles serão separados por tamanho, com o intuito de diminuir a competição por alimento.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados