Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Repolho


Adubação

Os terrenos muitos leves, pobres em matéria orgânica, não são recomendáveis, pois somente produzirão bem, com pesadas adubações. Também não se recomendam locais muito úmidos ou ricos em matéria orgânica não decomposta. Estes locais possuem, geralmente, terras muito ácidas, necessitando, por isso, além de boa drenagem, da aplicação de calcário. Após drenagem, findando a umidade e passado tempo suficiente para a ação benéfica da calagem, o repolho produzirá bem, desde que se faça boa adubação.

O repolho retira pesado suprimento mineral do solo onde é cultivado. A não ser em casos especiais, sempre há exigência de adubação, porque as terras não possuem a riqueza necessária. Os teores em sais minerais dessa hortaliça aumentam, quando convenientemente adubada.

A matéria orgânica é muito importante nessa adubação. Se não for usado o esterco de curral ou outro adubo correspondente, deve ser semeada uma leguminosa como adubo verde, em rotação. Nesse caso, o plantio do repolho será feito cerca de 3 meses após a incorporação do adubo verde.

Quando se planta tomate ou batatinha, com pesada adubação, após essa cultura, pode ser feita, com sucesso, a plantação do repolho, sem nova adubação, tornando-se necessária, para ativar a vegetação, apenas pequena aplicação de Salitre do Chile em cobertura.

No viveiro ou canteiro de semeadura, é sempre aconselhável empregar, por metro quadrado, 8 a 10 dias antes de semear, a seguinte adubação:

- Esterco de curral curtido -10 Kg.
- Superfosfato (20%) -100 gr.

O esterco de curral pode ser substituído por 2.500gr. de esterco de galinha bem curtido. Quando as plantas no viveiro não se desenvolverem satisfatoriamente, regar com solução de salitre do Chile, na base de 10grx10 L de água/m2.

No campo, mesmo em terras medianamente ricas, mas com adubação deficiente, não há bom desenvolvimento das plantas. Estas não formam cabeças, ou quando as formam, são pequenas, pouco firmes e, portanto, sem valor comercial.

Quando se planta repolho em época chuvosa, é comum a deficiência de boro, que diminui a produção, pois as cabeças são menores e frouxas. Além disso, ela conduz ao apodrecimento da parte central da cabeça, conhecida por “coração”, tornando-a de pequeno valor comercial, pois fica com má aparência e pouca durabilidade. Os sintomas de falta de boro são mais acentuados nas terras soltas do que nas pesadas, porque aquelas são mais facilmente lavadas pela água da chuva ou de irrigação.

Controla-se a carência de boro com pulverizações de solução de ácido bórico, na base de 2x10 (dois gramas para 10 litros de água). Pulverizar as folhas em dia de sol, sem vento e sempre antes do início da formação de cabeças, isto é, durante o crescimento das plantas. Para aumentar, a aderência nas folhas, utilizar vinte gotas de espalhante adesivo para cada dez litros da solução. Em geral, três pulverizações espaçadas de 15 a 20 dias bastam para evitar tal deficiência.

Em solos mais sujeitos à falta de boro, além das pulverizações acima recomendadas, misturar bórax (tetraborado de sódio) aos adubos, de modo que cada planta receba uma grama desse produto.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados