Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Brócolis


Tratos Culturais

O terreno deve ser arado e gradeado duas vezes, pará ficar bem destorroado.

As capinas manuais ou a passagem do “planet” puxado a burro, devem ser freqüentes para eliminar o mato e quebrar a crosta que se forma na superfície do solo. estes tratos precisam ser superficiais, a fim de não prejudicar as raízes. das plantas, especialmente na fase final de crescimento. Para evitar o crescimento de mato entre as plantas, o terreno pode ser coberto com capim seco ou outros restos vegetais, sem sementes.

A couve-flor e os brócolos devem sempre ser irrigados artificialmente em períodos sem chuva, de mais de uma semana, com forte insolação, principalmente na primeira fase de crescimento, quando não se desenvolvem as raízes.

É muito importante a rega, após o transplante, para que haja bom pegamento das plantas, porque nem sempre chove na ocasião. As mudas transplantadas fora de tempo ou “passadas”, tendem à menor produção.

A couve-flor não produzirá boa cabeça comercial se sofrer falta de água. Os brócolos são pouco mais tolerantes a essa deficiência cultural.

São pontos fundamentais, na irrigação:

a) colocar água suficiente e a intervalos regulares, para manter úmida a camada do solo, onde está a maioria das raízes. O intervalo entre as regas varia com o tipo de solo, ou seja, sua capacidade de reter água, com a temperatura e com o vento. Deve ser determinada, para cada solo, a quantidade de água necessária e seus intervalos de irrigação. Pràticamente um solo sílico-argioso, com boa riqueza em matéria orgânica, pode ser irrigado cada 4 a 8 dias para a couve-flor e os brócolos, colocando-se cerca de 20 litros de água por metro quadrado em cada irrigação.

b) irrigar, sem provocar erosão superficial, nem lavagem vertical do solo com perdas de elementos nutritivos. A rega deve ser feita, mais freqüentemente, até o pegamento das mudas.

A irrigação de brócolos e couve-flor pode ser feita por aspersão ou por infiltração. O primeiro sistema pode ser usado em qualquer tipo de solo. O tipo de infiltração, pelo qual a água circula lentamente entre as linhas, que tem muito pequena inclinação, não se recomenda para solos muito permeáveis, como os arenosos e o salmourão, porque grande quantidade de água se perde ao circular entre as fileiras da planta. A irrigução por infiltração também não pode ser empregada quando o solo, entre as plantas, é coberto com capim ou outros restos vegetais.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados