Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

alimentação de bovino de leite - Por jorge luis da silva

oi meu jorge
oi queria sabe infornação qual alimentação ideal pra bovino de leite em gestação?

28/09/2010 19:51:40
João Gustavo Rebelato Forti - ZOOT Jr./USP

final da lactação, gestação
Esta fase poderá ser fácil para manejar. A produção de leite estará declinando, a vaca estará gestante, e o consumo de nutrientes facilmente providos ou excedendo os requerimentos. A quantidade de energia poderá diminuir, pois nesta fase as vacas requerem menos quantidade de alimento para repor as reservas corporais do que vacas secas. Vacas jovens, principalmente as de primeira cria, deverão receber aproximadamente 20% a mais de nutrientes. Nesta fase, podemos aumentar a quantidade de uréia na dieta dos animais. Os problemas potenciais nesta fase são poucos, salvo o fato de que as vacas podem declinar de 8 a 10% na produção de leite por mês.


26/07/2011 17:43:28
João Gustavo Rebelato Forti - ZOOT Jr./USP

Período seco - 60 a 14 dias antes do parto
Logicamente, um programa de alimentação para a vaca seca em separado das vacas em lactação é requerido. A dieta deverá ser formulada especialmente para atender aos requerimentos das vacas secas: mantença, crescimento fetal e reposição das reservas corporais. Um mínimo de 12% de PB na ração é recomendado para essa fase. O consumo de matéria seca poderá ser próximo de 2% do peso vivo. O consumo de forragem deverá ser no mínimo 1% do peso vivo ou 50% da MS da ração total. A alimentação com grãos deverá ser de acordo com a necessidade e não exceder 1% do peso vivo. Dependendo da condição corporal, deve-se restringir a quantidade de alimento para evitar que cheguem obesas ao parto. Suprimento de cálcio e fósforo é necessário, mas deve ser evitado grandes excessos. Normalmente, o cálcio é requerido entre 60 e 80 gramas e o fósforo entre 30 e 40 gramas diárias. Também, adequado suprimento de vitaminas A, D e E ajudam na sobrevivência da cria, evita retenção de placenta e febre do leite. Minerais traços, a exemplo de selênio e outros, devem ser adequadamente suplementados.

Problemas tais como febre do leite, deslocamento de abomaso, retenção de placenta, síndrome do fígado gorduroso, falta de apetite, juntamente com outras desordens e doenças, são comum em vacas excessivamente gordas. Um bom manejo nesta fase inclui:

- Observar a condição corporal e ajustar o fornecimento de energia se necessário
- Fornecer somente os nutrientes requeridos e evitar grandes excessos
- Começar a dieta de transição duas semanas antes da previsão de parto
- Evitar excesso no consumo de cálcio e fósforo e de potássio


26/07/2011 17:43:54
João Gustavo Rebelato Forti - ZOOT Jr./USP

período de transição

Essa fase é bastante delicada e muito importante para ajustar a vaca seca ao parto, à ração de lactação e prevenir problemas metabólicos. Alguns grãos, não previamente fornecidos, poderão ser incluídos progressivamente nas dietas, duas semanas antes do parto previsto, visando começar a modificar a flora ruminal de uma população adaptada a uma dieta de alta forragem para uma população mista capaz de fermentar forragem e alta quantidade de concentrado. Algumas estratégias de manejo nesta fase incluem:

- fornecer grãos para adaptar o microbiota ruminal e estimular a formação das
papilas ruminais responsáveis pela absorção
- Aumentar a quantidade de proteína na dieta
- Limitar ou retirar a gordura da dieta, pois pode reduzir o consumo
- Lançar mão de niacina ou sais aniônicos para ajudar a prevenir cetose e febre do leite.


Fonte: Retirado de http://www.milkpoint.com.br/artigos-tecnicos/nutricao/guia-rapido-para-nutricao-de-vacas-leiteiras-60707n.aspx


26/07/2011 17:44:10

Você só pode comentar se estiver logado.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados